Organização Social BioTec-Amazônia renova contrato com Sectet

A BioTec-Amazônia é o braço do Estado do Pará dotado de expertise e credibilidade internacional e em todas as esferas da União, com capacidade de governança inovadora e de articulação estratégica.

No mês de novembro de 2020, a Organização Social BioTec-Amazônia teve o contrato de gestão renovado pelo Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet). O contrato de gestão com a Associação BioTec-Amazônia, selecionada, por meio do edital de chamamento público em 2017, é a consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, ancorado pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança. A assinatura ocorreu na sede da Secretaria e contou com a presença de seu titular, Secretário Carlos Maneschy e do Diretor-Presidente da BioTec-Amazônia, Professor José Seixas Lourenço.

Professor Carlos Maneschy, titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet).
(Imagem: Ascom CDR/Pará)

O Secretário Carlos Maneschy ressaltou no encontro o papel da BioTec-Amazônia em promover a biodiversidade paraense. “A BioTec-Amazônia como Organização Social contratada pela Sectet para trabalhar na prospecção de novos negócios, é um braço que pode agilizar o Governo nesse aspecto, em particular. Essa é a função primordial da relação entre BioTec e o Estado de maneira direta”. Mais recentemente, o titular da Sectet também parabenizou a BioTec-Amazônia pela iniciativa de implementação do Centro de Desenvolvimento Regional – CDR no Estado do Pará.

“Quero parabenizar o Professor Seixas Lourenço, parabenizar e desejar todo o sucesso no encaminhamento da gestão do Centro de Desenvolvimento Regional e toda a equipe da BioTec e dizer que o Governo do Estado, na pessoa do Governador Helder Barbalho, já está com toda a disposição, já anunciou, manifestou de maneira muito clara a sua intenção de aprovar esse projeto. Eu tenho certeza que em pouco tempo a gente pode construir aqui um caminho novo, um novo processo de produção do Estado, um patamar distinto de qualificação no que diz respeito aos bens que aqui são produzidos . Creio que esse é um passo seguro e importante nessa direção”. 

Carlos Maneschy, quando participou da 1ª Oficina do Centro de Desenvolvimento Regional Pará Região Metropolitana de Belém.

As atividades da BioTec-Amazônia estão voltadas para subsidiar a Política Pública para Pesquisa e Desenvolvimento de Cadeias Produtivas da Biodiversidade Paraense, procurando potencializar sua capacidade de governança inovadora e de articulação estratégica, como o braço do Estado do Pará dotado de expertise e credibilidade internacional e em todas as esferas da União, como articuladora com o setor empresarial e centros de inteligência, permitindo acesso e governança democrática e eficiente de tecnologia de ponta, fundamental para o desenvolvimento das instituições de ciência e tecnologia, indústrias e empresas da Região.

“A própria iniciativa de qualificar uma Organização Social a fim de promover o desenvolvimento regional a partir do uso sustentável da biodiversidade amazônica já é um marco de inovação no estado do Pará. Um dos grandes problemas da gestão pública é a falta de continuidade das ações e o modelo de governança inovadora da OS permite dar sequência a ações mesmo com as mudanças de governo, possibilitando a conclusão das metas estabelecidas nos eixos estratégicos que norteiam as ações da BioTec-Amazônia”, explicou o Diretor-Presidente, José Seixas Lourenço.

O Diretor-Presidente José Seixas Lourenço com o Reitor da UFOPA, Professor Hugo Alex Diniz.
(Imagem: Ascom BioTec-Amazônia)

Gestão Inovadora – Durante o primeiro ano de gestão, em 2018, a BioTec-Amazônia realizou um trabalho de base começando com o desenvolvimento institucional e contratação da equipe por meio da concessão de bolsas de estímulo à inovação. Uma vez a equipe formada, a OS promoveu a capacitação dos seus profissionais em Inteligência Competitiva, o que permite que a BioTec-Amazônia se antecipe às demandas de mercado e desenvolva projetos visando a geração de negócios com mais assertividade e agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual.

“A partir daí, foi iniciado um trabalho de aproximação aos laboratórios do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), visando a conhecer a estrutura e os gargalos existentes e foi viabilizado um projeto de captação de recursos para que os laboratórios se adequassem e servissem como referência na prestação de serviço para empresas. A BioTec buscou, ainda, articular com os diferentes atores por meio da aproximação com o setor produtivo, com o objetivo de entender de que modo se pode casar as demandas deste setor, as pesquisas realizadas nas ICTs, a estrutura de laboratórios que está sendo formada para atender as necessidades das empresas e a oferta de matérias-primas da biodiversidade amazônica pelas comunidades”, lembrou Lourenço.

Laboratório de Tecnologia Supercrítica – LABTECs, Coordenado pelo Professor Raul Nunes.
(Imagem: Ascom BioTec-Amazônia)

Rede de Pesquisadores – Em 2019, foi criado, com grande aceitação no meio científico, a Rede de Pesquisadores Empreendedores Associados, de âmbito internacional, para atrair pesquisadores com qualificação e experiência comprovadas e atuar, em parceria com a BioTec-Amazônia, em atividades de captação efetiva de recursos financeiros por meio da elaboração de projetos de pesquisa, atração de empresas e de negócios com eventuais parceiros e que renda resultados e produtos. A BioTec-Amazônia iniciou as análises para a criação de um Complexo Analítico-Científico da Amazônia para atender demandas do setor empresarial e das instituições de ciência e tecnologia para atuar em parceria com a Rede de Pesquisadores Empreendedores Associados.

Também como parte do trabalho da Organização Social BioTec-Amazônia, dentro dos eixos estratégicos, a articulação com lideranças empresariais, acadêmicas e de governo, voltadas para o aumento da inovação em setores econômicos, por meio de arranjos institucionais inovadores. Com isso, a BioTec-Amazônia estabeleceu parcerias para viabilização de cooperação técnico científica nesses últimos três anos. A assinatura de 10 protocolos, em 2019, bem como a assinatura de 11 Acordos de Cooperação Técnica, em 2018, entre a BioTec-Amazônia e Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação e Secretarias de Estado, buscam desenvolver atividades de interesses em comum das instituições partícipes e a execução de projetos, estudos e pesquisas com foco nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios.

Assinatura de Acordo de Cooperação com a Associação Instituto Tecnológico Vale – ITV , em 2019, com a presença do Diretor-Presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, e José Oswaldo Siqueira, Diretor Científico do Instituto.
(Imagem: Ascom BioTec-Amazônia)

CDR/Pará – Em 2020, a Organização Social BioTec-Amazônia foi a vencedora da Chamada Pública de âmbito regional lançada pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos – CGEE, sediado em Brasília, com a finalidade da implementação de Centro de Desenvolvimento Regional – CDR no Estado do Pará. O CDR é um projeto que visa promover a discussão e a implantação de agendas de desenvolvimento que possam estimular a economia da região e fomentar a geração de emprego e renda, um dos pilares do desenvolvimento regional.

1ª Oficina CDR no Auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (FAEPA).
(Imagem: Ascom CDR/Pará)

Trata-se do primeiro projeto-piloto CDR na Região Amazônica e que se predispõe a apoiar a organização de uma agenda de ações das instituições de base técnico-científica, no sentido de atender ao interesse do desenvolvimento de suas regiões. A criação dos CDRs também conta com a participação de representação parlamentar, via Centro de Estudos e Debates Estratégicos (CEDE) da Câmara dos Deputados, e de outras instituições de fomento ao ensino, à pesquisa, à ciência e à tecnologia no Brasil, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e as fundações de amparo à pesquisa (FAP) dos Estados.

A 1ª Oficina de Implementação do Centro de Desenvolvimento Regional Pará – Região Metropolitana de Belém, fruto dessa iniciativa, ocorreu no dia 7 de julho de 2020, no Auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (FAEPA). As propostas dos alvos temáticos prioritários, emergidas dos grupos formados por representantes de instituições de ensino superior e institutos de pesquisa, dos Governos Federal, Estadual e municipal e de Federações empresariais e, finalmente, consolidadas e homologadas, por unanimidade, no momento da plenária final da Oficina – Desenvolvimento do Agronegócio e das tecnologias de alimentos com ênfase na verticalização industrial; Reciclagem e tratamento dos resíduos; Valoração dos serviços ecossistêmicos (Geração de renda e preservação ambiental); Bioprodutos; e Energia Renovável –, nada mais fizeram que confirmar e ratificar a justeza da escolha da temática da bioeconomia como prioridade na agenda de desenvolvimento de uma região como a Amazônia.

2ª Oficina CDR Pará destinada a homologação da carteira de projetos.
(Imagem: Ascom CDR/Pará)

A 2ª Oficina do Centro de Desenvolvimento Regional de Homologação da Carteira de Projetos – CDR/Pará Região Metropolitana de Belém (RMB) foi destinada à HOMOLOGAÇÃO da CARTEIRA DE PROJETOS CDR/PARÁ-RMB, onde buscou a interação entre os atores, com o intuito de apresentar os pesquisadores responsáveis pelos 106 projetos selecionados que constam na Carteira de Projetos BioTec-Amazônia e na Carteira CDR/Pará-RMB para diversos representantes de instituições de ensino superior e institutos de pesquisa, dos Governos Federal, Estadual e Municipal e de Federações empresariais.

O evento teve a plena participação dos convidados, todos representantes das instituições parceiras da ação, com destaque, para as Agências de Financiamento (locais, regionais e nacionais), Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) e Secretarias de Estado, cuja manifestação pública foi explicitamente favorável à Carteira de Projetos CDR em bioeconomia, encaminhadas pela BioTec-Amazônia (gestora local do CDR/Pará-RMB), com demonstração de compromisso e interesse de apoio à iniciativa. Além da FAPESPA, também estiveram presentes representantes do Banco do Estado do Pará (BANPARÁ), da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), dentre outras, e que, na ocasião realizaram pronunciamentos favoráveis a essa parceria.

OS – A Organização Social BioTec-Amazônia, criada em 4 de outubro de 2016, é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos e de interesse coletivo, destinada a promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica. Após chamamento público n° 004/2017 da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica – SECTET, a organização social foi qualificada no dia 21 de setembro de 2017, com publicação do Decreto n° 1849, de 19 de setembro de 2017, no Diário Oficial do Estado do Pará, pelo Governador do Estado. O decreto publicado qualifica a BioTec-Amazônia como organização social para atuar na área de Desenvolvimento Tecnológico e Científico, conforme Lei Estadual n° 5980, de 1996, e Decreto Estadual n° 3876 de 2000.

Silvia Leão

Comunicação BioTec-Amazônia. E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br. Telefone: (91) 99271-5573. Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.