O uso sustentável da biodiversidade na Amazônia
BioTec-Amazônia participa do Fórum das Instituições de Educação Superior e Pesquisa do Pará
Forum de coordenadores na UFRA - Foto Alexandre de Moraes

Na reunião, três instituições firmaram termo de cooperação técnica com a OS.

A Organização Social BioTec-Amazônia esteve, na segunda-feira, 7 de maio de 2018, com dirigentes de 10 instituições paraenses durante a reunião do Fórum das Instituições de Educação Superior e Pesquisa do Pará, ocorrida na Universidade Federal Rural da Amazônia, Campus Belém. A reunião, além de discutir ações no âmbito do Fórum, que busca soluções conjuntas para o desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação na região, teve a apresentação da Organização Social BioTec-Amazônia. O Fórum conta, atualmente, com a participação de 11 instituições públicas e privadas.

Durante a apresentação do trabalho da BioTec-Amazônia, o Diretor Presidente, José Seixas Lourenço, explicou que a organização social foi selecionada pelo Governo do Pará para gerir as políticas no âmbito de pesquisa e desenvolvimento de cadeias produtivas da biodiversidade paraense. Nareunião, após a apresentação institucional da OS, houve a assinatura determos de cooperação técnica entre a organização e a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), a Universidade do Estado do Pará (UEPA) e a Universidade da Amazônia (Unama). No último dia 11 de abril, já haviam assinado termos de cooperação técnica a UFRA, a Embrapa e o Cesupa.

“A constatação que a gente faz nesse tempo é que o conhecimento está parando nas universidades e nos institutos de pesquisa. Isso gera pesquisa ligada ao desenvolvimento, mas pouco se traduz em termos de patentes. E mesmo se você tiver uma patente licenciada, se não tiver uma articulação com o setor empresarial, elas acabam parando nas prateleiras das universidades”, explicou no Fórum, José Seixas Lourenço. O Diretor Presidente da BioTec-Amazônia explicou ainda que os insights partem da academia mas não conseguem chegar ao mercado, o que impede benefícios para a instituição e, consequentemente, para a sociedade. ”Há exceções, mas, de um modo geral, é assim que tem ocorrido”.

Seixas Lourenço, durante sua apresentação no Fórum das Instituições, disse que há uma dificuldade nessa relação da academia, das Instituições de Ciência e Tecnologia, com o setor empresarial. Mas reforça que isso começa a ser superado com bons exemplos. “Mas há de se fazer um esforço grande no sentido de que haja uma preocupação de quem gera essas pesquisas dentro dos laboratórios de excelência e que possa ter uma interlocução muito grande com o meio empresarial”. Há exemplo disso, a BioTec-Amazônia realizou, no dia 22 de fevereiro de 2018, a 1ª Mostra de Bio-Invenções – Caminhos para a Inovação na Amazônia, evento que reuniu ainda pesquisadores, setor produtivo e empresarial, com o objetivo de divulgar pesquisas e projetos que aplicam o uso da biodiversidade da região de forma sustentável.

A reunião foi conduzida pelo Presidente do Fórum, Professor Sérgio Mendes, Vice-Reitor do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa). Também participaram do encontro o Reitor da UFRA, Professor Marcel Botelho; o Reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Professor Emmanuel Tourinho; o Reitor da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Professor Rubens Cardoso; o Chefe-Geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri; a Vice-Reitora da Universidade da Amazônia (Unama), Professora Betânia Fidalgo; e
representantes do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), do Instituto Federal do Pará (IFPA) e do Instituto Evandro Chagas (IEC).

Cooperação – Ao assinar o Termo de Cooperação Técnica, as partes estabelecem parcerias para a viabilização de cooperação técnico-científica, visando o desenvolvimento de atividades de interesse comum das instituições
e a execução de projetos, estudos e pesquisas, com foco nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. As atividades são desenvolvidas em concordância com eixos estratégicos que dizem respeito a gestão inovadora da BioTec-Amazônia, a partir da construção de alianças entre atores do ambiente de inovação do Estado. O eixo 2, Prospecção e atração de novos negócios com foco no BioPará, estabelece protocolos de intenção com investidores, visando atrair empresas dos setores produtivos prioritários apontados no Programa BioPará e demais investidores.

O Termo de Cooperação Técnica estabelece também apoio na criação e no fortalecimento de ambientes de inovação nas regiões de integração do Estado do Pará. Enquanto espaços destinados a dar suporte científico-tecnológico necessário às cadeias produtivas, consideradas estratégicas no Programa BIOPARÁ, as entidades parceira da BioTec-Amazônia serão estratégicas nos setores de alimentos, nutracêuticos, fitofármacos, cosméticos, produtos florestais e agrícolas, pesca e aquicultura.

As entidades apoiam, com informações estratégicas e com o uso das incubadoras, dos Parques Tecnológicos e dos laboratórios das Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT’s), a formação de novas empresas de base
tecnológica, além de outras iniciativas associadas a empreendimentos já instalados ou em fase de instalação. Difunde a cultura da propriedade intelectual nos ambientes acadêmicos, nos meios empresariais, e nas
comunidades tradicionais e fornecedoras de insumos, em articulação com os Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT’s) e com outras instâncias congêneres de instituições de pesquisa e desenvolvimento, com vistas à transformação de conhecimento em inovação.

Elabora panoramas de inovação nas empresas atuantes em território paraense na produção de produtos e processos oriundos do aproveitamento da biodiversidade amazônica e realiza, em articulação com atores do sistema de inovação estadual, estudos estratégicos de suporte a atuação empresarial em setores priorizados pelo programa BIOPARÁ.

OS -A BioTec-Amazônia é uma associação de direito privado, qualificada pelo Governo do Estado do Pará como Organização Social para promover o uso sustentável da biodiversidade estadual e regional. Foi constituída, em 2016, para gerir o programa paraense de incentivo ao uso sustentável da biodiversidade amazônica, o BioPará.

Após um chamamento público, a organização social foi qualificada no dia 21 de setembro de 2017, com publicação do Decreto nº 1849, de 19 de setembro de 2017, no Diário Oficial do Estado do Pará, pelo Governador do Estado. O decreto publicado qualifica a BioTec Amazônia como organização social para
atuar na área de Desenvolvimento Tecnológico e Científico, conforme Lei Estadual nº 5980, de 1996 e Decreto Estadual nº 3876 de 2000.

No dia 14 de dezembro de 2017, o Governo do Pará, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), assinou, no Hangar Centro de Convenções e Feiras, o contrato de gestão com a Organização Social BioTec-Amazônia. A gestão da OS BioTec-Amazônia é um sistema inteligente de governança voltado ao estímulo de uma economia dinâmica fundada no uso sustentável da
biodiversidade, com a devida e adequada base científica e tecnológica. A BioTec-Amazônia sustenta-se na tríade: ciência, indústria e sociedade pois entende que a pesquisa aliada à produção correta gera benefícios imediatos para toda a comunidade.

Texto: Silvia de Souza Leão
Comunicação BioTec-Amazônia
E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br/ biotecamazoniacomunica@gmail.com
Telefone: (91) 99271-5573
Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Silvia Leão

Comunicação BioTec-Amazônia. E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br. Telefone: (91) 99271-5573. Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Deixe uma resposta

Fechar Menu