O uso sustentável da biodiversidade na Amazônia
Reunião do Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação
Assinatura Protocolos (Foto: Igor de Souza / Cesupa)

Durante o evento também foram assinados três Termos de Cooperação Técnica entre entidades públicas e privadas e a OS

Na manhã desta quarta-feira (11), o Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Consectet), que presta assessoramento superior à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), realizou sua 6ª reunião ordinária. Dentre as ações em curso mencionadas pelo titular da Sectet, Alex Fiuza de Mello, destaca-se o Programa BioPará, política integrante do Programa InovaPará.

O programa trabalha a elaboração de políticas públicas que possibilitem a agregação de valor às cadeias produtivas da biodiversidade estadual e regional, por meio de pesquisa e desenvolvimento e de prospecção de negócios inovadores no setor. As ações do BioPará são executadas pela Organização Social BioTec-Amazônia, cujos objetivos e ações foram apresentados na reunião pelo seu presidente, José Seixas Lourenço.

Também participaram da reunião os Consultores Técnicos da BioTec-Amazônia Israel H. S. Feferman, que atuou como Diretor de Pesquisa e Inovação e foi Membro da Diretoria Executiva do Grupo Boticário e Luiz Antônio Barreto de Castro, titular da Academia Brasileira de Ciências; Secretário do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCI) por 13 anos; Pesquisador da Embrapa e instituiu a Engenharia Genética de Plantas no Brasil; RENORBIO; REDE BIONORTE e a Rede Centro Oeste.

A programação contou, também, com a assinatura de três Termos de Cooperação Técnica onde estiveram presentes o Reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Marcel Botelho; o Pró-Reitor de Pós Graduação, Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Centro Universitário do Estado Pará (Cesupa), João Paulo Mendes Filho e o Chefe-Adjunto de Transferência de Tecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Bruno Giovany De Maria. A intenção é que as instituições trabalhem juntas para viabilizar o desenvolvimento de atividades de interesse comum e a execução de projetos, estudos e pesquisas, com foco nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios. Em maio, durante a Feira do Empreendedor 2018, a BioTec-Amazônia assinará, também, acordos de cooperação com o Sebrae e com a Secretária de Turismo (Setur).

As entidades, assinantes do termo, estabeleceram, entre outros, o objetivo de contribuir com a governança inovadora e articulação estratégica, auxiliando a BioTec-Amazônia e a Sectet a articular com os diferentes segmentos (lideranças empresariais, acadêmicas e de governo). Além disso, podem contribuir para a prospecção e atração de novos negócios para o Parque de Ciência e Tecnologia promovendo e incentivando, juntamente com a BioTec-Amazônia, a participação em eventos, fóruns e vitrines de invenções de potenciais investidores.

Os termos também preveem formação, capacitação e fixação de profissionais nas áreas de atuação de cada instituição como, por exemplo, a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) capacitar profissionais na área de Biotecnologia já que possui um Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia Aplicada à Agropecuária, em parceria com a Embrapa que apresenta um currículo voltado para a biodiversidade e biotecnologia.

O Diretor Presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, lembrou que um dos objetivos da BioTec é promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica, em especial do estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social “As cadeias produtivas da biodiversidade paraense envolve as varias cadeias que estão previstas no Pará 2030, um programa de Estado, estratégico, de longo prazo, que prevê as atender por exemplo o açaí, o cacau, a palma, a pesca, agricultura familiar, floresta, turismo e gastronomia”.

O Presidente da BioTec-Amazônia também destacou o fomento do crescimento das cadeias industriais (particularmente da bioindústria), utilizando-se entre outras estratégias, das pesquisas nos laboratórios dos parques tecnológicos e das ICTs. “Além do Parque de Ciência e Tecnologia, PCT Guamá, no qual estamos instalados, temos também o apoio de todos os laboratórios, que não estão necessariamente aqui no PCT, mas que temos em todas as nossas instituições, universidades e institutos de pesquisa, como a Embrapa, a Ufra e a Cesupa que estão aqui para assinar os Termos de Cooperação Técnica”.

Um ponto fundamental nos objetivos estratégicos, relacionados durante a apresentação da BioTec-Amazônia, é a atração de talentos (locais, de outros estados e exterior) para áreas de conhecimento estratégico ao desenvolvimento da nova economia do conhecimento (sobretudo aquelas voltadas para o uso sustentável da biodiversidade). “Isso foi outro avanço significativo aqui da Lei Estadual, que vem refletindo a Lei Federal de janeiro de 2016, que abriu espaço para as chamadas bolsas de estímulos a inovação”. A Lei n° 8.427, de 16 de novembro de 2016, criou o Programa de Educação Profissional e Tecnológica, no âmbito do Estado do Pará, denominado “Pará Profissional”.

Seixas Lourenço lembrou que esse é um dos esforços apontados pelo decreto federal assinado em março de 2018, em evento organizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília, chamado Marco Legal da Ciência Tecnologia e Inovação. “Esse mecanismo das chamadas BEI – Bolsa de Estímulo à Inovação foi aprovado pelo próprio Consectet e nos permitiu uma das primeiras ações do contrato de gestão quando conseguimos estruturar um grupo de pessoas da maior competência na área que podemos chamar de bioeconomia, ou seja, a tríade biodiversidade, biotecnologia e bionegócios”.

As Bolsas de Estímulo à Inovação se destina a projetos e/ou ações voltados ao fomento e desenvolvimento de ambientes de inovação, em afinidade com os planos de verticalização de cadeias produtivas estratégicas paraenses, no Programa Inova Pará. A bolsa é concedida ao pesquisador público ou prestador de serviço de Instituição Científica e Tecnológica (ICT), sediada no Pará, que tenha qualificação e disponibilidade compatíveis às atividades previstas.

A reunião do Consectet ocorreu no Espaço Empreendedor, prédio recentemente inaugurado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) que tem como objetivo apoiar a instalação de empresas de base tecnológica e startups no Pará. O local foi escolhido para que os membros do Conselho pudessem conhecer o novo espaço e o seu potencial e para incrementar o desenvolvimento socioeconômico do Estado. O titular da Sectet, Alex Fiuza de Melo, terminou a reunião com parte do Conselho em visita as instalações da BioTec-Amazônia, em funcionamento, no terceiro andar do espaço Empreendedor, desde 7 de março de 2018.

Texto: Silvia de Souza Leão
Comunicação BioTec-Amazônia
E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br/ biotecamazoniacomunica@gmail.com
Telefone: (91) 99271-5573
Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Silvia Leão

Comunicação BioTec-Amazônia. E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br. Telefone: (91) 99271-5573. Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
shares