BioTec-Amazônia executa a Pesquisa Estadual por Amostra de Domicílios (Pead)

A pesquisa busca indicadores de taxa de pobreza e de desemprego municipal; proporção de domicílios com energia elétrica, computador e internet; entre outros como uma forma de consolidar a realidade do tecido social e econômico do Estado do Pará.

A Organização Social BioTec-Amazônia, como vencedora da chamada pública da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – Fapespa, é executora da Pesquisa Estadual por Amostra de Domicílio – Pead, que pretende espelhar a realidade dos paraenses nos 144 municípios das 12 Regiões de Integração do Estado do Pará.

A Pead foi lançada pela Fapespa, através da sua Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural – DIEPSAC, na última quarta-feira, 7 de outubro de 2021, no auditório da Fundação com as presenças do Diretor-Presidente da Fapespa, Marcel Botelho; do Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica – Sectet, Carlos Maneschy e do Diretor de Articulação Público-Privada da BioTec-Amazônia, Sérgio Alves e Márcio Ponte, diretor da DIEPSAC.

O Governador Helder Barbalho tem compromisso com o desenvolvimento humano. Para isso é preciso conhecer a realidade do Estado, conhecer os dados, e não apenas em algumas regiões, mas em todos os municípios do Estado e isso é inovador, isso é pioneiro. Nós vamos fazer um levantamento que cobrirá todos os 144 municípios do estado, levantamento de indicadores que vão poder fazer com que o Governo do estado apresente políticas que venham mitigar, e em alguns casos, resolver grande parte dos problemas que nós temos aqui. É inovador, é pioneiro, é estratégico, é extremamente importante”, destacou o titular da Sectet, Carlos Maneschy.

Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica – Sectet, Carlos Maneschy
(Foto: Fapespa)

O diretor da Organização Social BioTec-Amazônia, Sérgio Alves, durante a abertura, explicou o quão desafiador é realizar essa pesquisa. “É extremamente desafiador. Quando a gente pensa no Estado do Pará, a pesquisa toma uma magnitude maior ainda. Se a gente pensar que só na ilha do Marajó, que é maior que vários estados brasileiros, é esse o tamanho do desafio que a gente vai enfrentar. Nós que trabalhamos com desenvolvimento tecnológico, com bioeconomia, e queremos trazer novos investimentos para o estado, é fundamental que a gente tenha essa informação, a base de dados socioeconômica do Estado”.

Diretor de Articulação Público-Privada da BioTec-Amazônia, Sérgio Alves
(Foto: Fapespa)

Araguaia, Guajará/Região Metropolitana de Belém, Baixo Amazonas, Carajás, Guamá, Lago de Tucuruí, Marajó, Rio Caetés, Rio Capim, Tapajós, Tocantins e Xingu serão avaliados, a fim de, principalmente, dar base à criação de políticas públicas mais eficazes através de entrevistas presenciais em domicilio, com aplicação de questionário eletrônico que contém mais de 50 variáveis e possibilitará extrair, de forma segura, 90 indicadores de caráter socioeconômico. Para isso, a BioTec-Amazônia realizou, no dia 29 de setembro de 2021, no auditório do Espaço Inovação do PCT Guamá, o treinamento dos coordenadores e dos pesquisadores que vão realizar a pesquisa.

Para o presidente da Fapespa, Marcel Botelho, além da coleta de dados, a pesquisa também vai possibilitar a capacitação de pesquisadores em todas as regiões do Pará. “Porque eles conhecem a realidade local, conhecem os logradouros e facilita bastante o trabalho. Então, iremos com alguns pesquisadores da região metropolitana de Belém, por eles entenderem a metodologia, e faremos o treinamento com pessoas que irão atuar na região. Então, durante três meses teremos um trabalho intenso de coleta de dados”.

Diretor-Presidente da Fapespa, Marcel Botelho
(Foto: Fapespa)

Já os domicílios onde será aplicado o questionário serão selecionados por meio de sorteio aleatório, utilizando-se os setores censitários do IBGE. Os domicílios serão sorteados nos setores selecionados na primeira fase. As entrevistas serão conduzidas em equipamentos eletrônicos em software específico para registro das respostas e gestão de equipe de campo. “A alimentação dos dados será em tempo real. Então, você coletou o dado, preencheu o questionário eletrônico, ocorre o upload imediato. Então é alimentado em tempo real. Esses dados são os dados brutos. Qualquer cidadão vai poder livremente acessar. A partir dai, vamos ter uma equipe de pesquisadores experientes, para fazer a interpretação dos dados”, explicou Marcel.

Os resultados gerais para o Estado do Pará serão baseados em uma amostra de aproximadamente 71.547 entrevistas. Para a melhor instrumentalização e direcionamento das politicas públicas a serem promovidas pelo executivo estadual, é necessário o levantamento de um conjunto de informações municipais relativas à estrutura domiciliar dos paraenses, de maneira que possibilitem a elaboração de estudos analíticos de caráter socioeconômico, apontando claramente as condições econômicas, vulnerabilidade social e deficiência das cidades paraenses, assim como a potencialidade de cada uma dessas localidades do estado.

Silvia Leão

Comunicação BioTec-Amazônia. E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br. Telefone: (91) 99271-5573. Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.