O uso sustentável da biodiversidade na Amazônia
BioTec-Amazônia recebe Álvaro Prata em sua sede

Na reunião, o Secretário Executivo no MCTIC pode conhecer as políticas de governo desenvolvidas pelo Estado do Pará e as ações da Organização Social a frente do Programa BioPará.

A BioTec-Amazônia recebeu, na manhã do dia 6 de junho de 2018, Dr. Álvaro Prata, Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação para apresentar o trabalho desenvolvido pela Organização Social e mais as ações realizadas pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet).

Estiveram presentes na reunião o titular da Sectet, Alex Fiuza de Mello, o Diretor Presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço; a Secretária Adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez, os consultores da BioTec-Amazônia, Israel Feferman e Luiz Antônio Barreto de Castro, Hélio Gomes de Carvalho, professor e pesquisador especialista em inovação, além de parte da equipe da OS.

O titular da Sectet, Alex Fiuza de Mello, explicou que Dr. Alvaro Prata é um dos Secretários Executivos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, área que mexe diretamente com pesquisa, desenvolvimento e inovação dentro do Ministério. “Então a vinda aqui tem por objetivo apresentar as ações que tem sido feitas, como políticas do Governo do Estado para o desenvolvimento do setor, o Parque Tecnológico e também apresentar o trabalho da BioTec-Amazônia, que é uma organização social contratada pelo Estado para desenvolver o Programa BioPará, buscando uma parceria com o MCTIC no sentido de fazer investimentos dessa cadeia produtiva, como por exemplo, o financiamento de startups e pequenas empresas dentro do setor em particular de Biocosméticos mas também de alimentos e assim por diante”.

Para Maria Amélia Enriquez, Secretária Adjunta da Sectet, o Pará tem uma densidade intelectual local muito grande. “Você tem cursos hoje que tem mestrado, doutorado, cursos interiorizados que abrigam incubadoras. E é esse o caminho. A ciência colada no setor produtivo. E o setor público como parceiro”. O Diretor Presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço mostrou o trabalho que vem sendo desenvolvido pela BioTec-Amazônia, além de explicar que o Inova Pará procura fortalecer o ambiente de inovação das diversas regiões do Estado. “Por outro lado, o Pará 2030 trabalha com as principais cadeias produtivas como o açaí, o cacau, a pesca, até mesmo de turismo e gastronomia. Então ai se trata de fazer uma grande matriz de cadeias de inovação”, explicou. O Programa BioPará está focado em política pública de P&D e cadeias produtivas como uma estratégia de longo prazo no Pará.

Para o Luiz Antônio Barreto de Castro, consultor da BioTec-Amazônia, a OS cumpre esse papel de articulação e gestão da inovação. “A ciência cresceu no Brasil. De 0,4% para 2,7%. Nada cresceu mais no Brasil e esse é o objetivo da BioTec-Amazônia. Sem isso, ela não se justifica. Eu não consigo convencer o pesquisador e nem a sociedade da importância da ciência porque essa sociedade não consegue ver a consequência disso. A sociedade vai perguntar para que eu vou investir em ciência? E esse é o grande papel do desenvolvimento e inovação do Estado, através dessa OS, porque sem a OS isso não poderia ser possível. Ela faz política a longo prazo. Ela vai conseguir trabalhar a longo prazo porque se não for assim, não funciona”, disse o consultor.

O Diretor Presidente da BioTec-Amazônia, José Seixas Lourenço, ressaltou a experiência do Estado do Pará com as organizações sociais. “A experiência do Estado do Pará é vasta com organizações do terceiro setor. Desde 1996 já vêm tendo essa experiência e a primeira surgiu em 2001. Ou seja, já há uma experiência sólida e é natural que a experiência da BioTec-Amazônia venha somar com essa trajetória”. Segundo o titular da Sectet, Alex Fiuza de Mello, não se tem conhecimento, no Brasil, de outra OS para trabalhar na área da ciência e tecnologia.

Para Álvaro Prata, Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, a pluralidade de experiências no Estado é um ponto importante a ser destacado após a reunião. “Pessoas com muita experiência, que conhecem as peculiaridades da sua região mas, agregado a isso, pessoas que enxergam as áreas estratégicas das políticas públicas. Um trabalho muito entusiasta”.

Texto: Silvia de Souza Leão
Comunicação BioTec-Amazônia
E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br/ biotecamazoniacomunica@gmail.com
Telefone: (91) 99271-5573
Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Silvia Leão

Comunicação BioTec-Amazônia. E-mail: silviadesouzaleao@biotecamazonia.com.br. Telefone: (91) 99271-5573. Endereço: Espaço Empreendedor, localizado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá – PCT Guamá, 3ºandar, salas 401 a 404.

Deixe uma resposta

Fechar Menu